Medo de Dirigir

Compromisso com hora marcada, taxi não aparece, não tem ônibus para se deslocar ao destino. “Com carro seria muito mais fácil e rápido”, ele pensa. Reflete, avalia, resolve não dirigir dessa vez. “Na semana que vem eu tento”, afirma convicto. A semana seguinte passa, ele não dirige novamente. Passasse 1,2,3 semanas, quando vê, passasse meses, passasse anos.

O medo de dirigir é um problema comum em nossa sociedade e que gradativamente está aumentando. O medo está ligado a 3 crenças: ser aceito, aceitar-se como motorista e ter competência para dirigir. Em paralelo, muita dificuldade de permitir-se passar pelo processo de controlar o carro, de aprender aos poucos. O medo de dirigir pode provocar muitas reações nas pessoas. Acompanhado da ansiedade, percebe-se o coração acelerar, suor em alguma parte do corpo (principalmente nas mãos), baixa autoestima, vergonha do desempenho em público. O medo nada mais é do que uma interpretação distorcida a respeito do processo de dirigir, como já falamos em posts anteriores, os famosos erros de lógica. Como consequência do medo, da ansiedade, das crenças relacionadas e dos sintomas físicos, o resultado é um só: evitar e não dirigir. O medo é reforçado justamente pela evitação, pois cada vez que não se dirige, também não se enfrenta. Portanto torna-se mais distante de vencer o medo. A realidade é que dirigir é imprescindível aprender, exercitar, treinar, treinar, treinar.

A Terapia Cognitivo-Comportamental tem mostrado excelentes resultados no medo de dirigir, atuando na parte cognitiva (corrigindo os erros de lógica) e na parte comportamental (preparar, enfrentar, habituar). Quer saber mais sobre o tratamento? Entre em contato conosco, nossa equipe atende pessoas com medo de dirigir e preparação para a prova da autoescola!

Ethos, um pouco de Psicologia para o seu dia a dia!