Erros de Lógica

Armadilhas da mente: Você sabia que seus pensamentos podem te enganar?

Na Terapia Cognitivo-Comportamental, entende-se que eventualmente as pessoas podem cometer “erros de lógica”, que são distorções entre o que aconteceu e como interpretamos esse acontecimento. Os “erros de lógica” é a nossa lente pessoal, a maneira como muitas vezes avaliamos e interpretamos algumas situações. A forma como enxergamos o que estamos vivenciando influencia na maneira como sentimos e como nos comportamos. Muitas vezes esses “erros de lógica” são impercebíveis, mas podem causar alguns problemas bastante significativos.

Vamos conhecer alguns desses erros?

  1. Filtro mental: É quando se chega a algumas conclusões após manter o foco nos detalhes negativos e deixar de fora de seu filtro os detalhes positivos. Quando você faz isso, você enxerga só uma parte da situação, do contexto ou de uma pessoa. Conclui de forma incompleta e, por vezes, injusta.
  2. Chegar a conclusões precipitadas: Nesse caso, chega-se a conclusões negativas, apesar de não ter evidências que as comprovem ou mesmo quando tem evidências contrárias a essas conclusões. É uma tendência a bater o martelo antes do tempo, antes de ter certeza do desfecho ou do que acontecerá.
  3. Supergenaralização: É quando generalizamos certos aspectos ou questões e, a partir disso, criam-se regras e conclusões amplas e gerais sobre vários aspectos de sua vida. Muitas vezes generalizar faz com que não percebamos as exceções ou as diferenças.
  4. Maximização e minimização: Aplica-se quando você pensa sobre você mesmo, sobre os outros ou sobre uma situação, você maximiza os aspectos negativos ou minimiza os aspectos positivos. Em relação às pessoas, é muito comum ou hipervalorizarmos ou menosprezarmos, ignorando aspectos negativos no primeiro caso ou positivo no segundo.
  5. Personalização: Esse erro é cometido quando algo ruim acontece e você assume a culpa por isso, mesmo quando a culpa não é sua.
  6. Pensamento “tudo ou nada”: Enxergar as coisas de forma dicotômica. Enxerga apenas duas categorias para pessoas e situações; são ou totalmente bons ou totalmente ruins, perfeitos ou defeituosos, um sucesso ou um fracasso.
  7. Catastrofização: Enxerga algo como muito maior do que realmente é. Muitas vezes enxerga os desfechos e o futuro de forma catastrófica, sem considerar outros resultados possíveis.
  8. Leitura mental: Como na telepatia, você supõe saber o que as outras pessoas estão pensando ou sentindo, sem considerar outras possibilidades.
  9. Raciocínio emocional: O erro cometido aqui é acreditar que se sente é porque é verdade. Você acredita que os seus sentimentos são julgamentos verdadeiros sobre quem você é, sobre as pessoas e situações em que vivencia.

Em todos os casos, não enxergamos a situação POR INTEIRO. Para concluirmos algo, precisamos ter certeza de que observamos todas as hipóteses, todas as possíveis ideias, para assim concluirmos com base na realidade e no que realmente estamos vivendo, não no que estamos vendo.

A Terapia Cognitivo-Comportamental trabalha no reconhecimento desses “erros de lógica”, fazendo com que o indivíduo consiga identifica-los, questioná-los e modifica-los, garantindo menos sofrimento e atitudes mais saudáveis. Ficou interessado e quer saber mais? Entre em contato conosco!